“Eu nao sei vender!”
12 de setembro de 2016
O lado “B” (ou o lado oculto) do empreendedorismo
14 de outubro de 2016
Show all

Perfume de cicuta. Já sentiu o seu aroma?

Perfume de cicuta

Eu sei que esta é apenas uma evidência, mas tenho convicção de que estas e outras acontecem diariamente, como um campo minado que pisamos todos os dias e explodem a confiança feminina. Seria fácil se fosse mesmo um campo minado, pois uma vez identificadas as minas, bastaria não pisar nelas. Mas, o tipo de minas que estamos tratando não nos matam de uma só vez. Elas nos envenenam homeopaticamente, devagar ao longo da nossa existência; e o efeito é como o cheiro de perfume de cicuta: mortal!

Sou mãe de uma Sofia e ela, como muitas mulheres, é totalmente autônoma (apesar de ter 2 anos e meio). Tão autônoma e autêntica que trouxe um incômodo na escolinha que ela estuda.

Contando o episódio: vou buscar a Sofia na escola e como eu a busquei um pouco mais cedo do que o horário costumeiro e era o período de férias, quem me recebeu foi a professora substituta, pois a Sofia estava sendo trocada e deu tempo de conversar um pouquinho com a “prô”. Ela fez o seguinte comentário em relação à autonomia e atitudes da Sofia:

Nossa, tenho dó do marido da Sofia. Ela não vai deixar ou dar sossego pra ele, ele não mandará nela de jeito nenhum.

Respirei fundo, mas bem fundo e mais um pouquinho. Afinal, é a substituta e não continuará a ser a mulher espelho e exemplo para a Sofia por muito tempo.

Passou uma semana e tive a oportunidade de buscar a Sofia mais uma vez. Para minha felicidade cruzei com a segunda pessoa no grau de hierarquia da Escola e, ela me chamou pra falar o quanto a Sofia era autônoma e tomava decisões por si e pelos amigos. Mas… Tem sempre um “mas’ para derrubar um elogio e transformá-lo em uma crítica feroz, machista e sem reflexão das consequências do fato.

“Bem”, continuou ela em seu discurso… “Mas, eu tenho pena do homem que tiver de lidar com a Sofia. Ela tem um gênio muito forte.”

Eu, em um pensamento muito egoísta, primeiramente me indignei. Coitado dele.?!?!?!? Coitada de mim e também do pai da Sofia, pois não é fácil negociar quando a pequena é incisiva em suas vontades. E… Eu já estava muito incomodada com a questão desde a semana anterior. Por isto decidi escrever aqui e publicar esta triste e corriqueira história das vidas de nós mulheres, que nos fazem ter de ir e voltar, sempre repensar, questionar nossas qualidades uma vez que elas estão nos sendo colocadas como defeitos.

Aqui está o perfeito aroma do perfume de cicuta e onde eu quero que vocês prestem muita atenção. Se, alguma criança fizesse exatamente o que Sofia faz e continuará fazendo (não me calo até que a equidade seja feita), mas, porém, entretanto, fosse um menino… Eu tenho CERTEZA que a história que teria para contar seria um conto de sucesso, do super herói assertivo dentro da mesma atitude.

Vocês acham que as duas mulheres que me abordaram falariam que meu filho seria difícil de ser mandado por uma mulher? Em um tom de crítica?

Eu sei que isto não ocorreria! O discurso, a linguagem seria outra. Não seria de crítica, seria de valorização e reconhecimento de um líder nato, que será o que quiser ser, que não se deixará levar facilmente, que tem personalidade forte e muitos outros elogios que é possível pensar à situação.

Trago aqui não só um desabafo, mas dois pedidos:

– Conte-nos em sua história como mulher, quantas situações corriqueiras minaram sua confiança e seriam diferente simplesmente se você fosse de outro sexo?

Vamos parar de aceitar que nós e outras e outros minem a confiança de nossas meninas e mulheres; precisamos replicar, mostrar, compartilhar estas histórias para termos a atitude adequada de não se calar e ajudar quem quer que seja que fez tal comentário à repensar suas atitudes;

– Dê sua opinião sobre este caso e me ajude a demonstrar que nós mulheres não podemos mais aceitar essas diferenças e que a Sofia é uma líder nata, que terá sua história de sucesso pois ela já tem as características autênticas para tal e não necessita de um pênis para realizá-las.

Essas opiniões serão coletadas e comporão este artigo e o manifesto de repúdio ao ocorrido na escola em que Sofia frequenta.

Elúbian Sanchez
Sou a única Elúbian que você conhece! Graduada, mestre e doutoranda da FEA/USP e escolheu suas paixões: a docência, a pesquisa e ser mãe da Sofia (tudo ao mesmo tempo). Sua experiência profissional de 20 anos perpassou pela área Contábil e a de Educação. Conquistou as funções de gerente das áreas Fiscal e de Cadastro no ECML - Escritório Contábil Monteiro Lobato, coordenadora de Desenvolvimento Profissional do IBRACON - Instituto de Auditores Independentes e de especialista em Ensino e Aprendizagem e professora auxiliar no INSPER Instituto de Ensino e Pesquisa. Atualmente ministra aulas na FECAP- Fundação Álvares Penteado e na FHO Uniararas. Tem muita disposição, então tem empresa administração de condomínio (www.sindicaz.com) e em fabricação de cervejas artesanais.

1 Comment

  1. Elúbian Sanchez disse:

    Olá Eliane,

    Que bom que gostou do nosso blog. Temos muitos materiais na Fanpage do Facebook e oferecemos encontros mensais presenciais para auxiliar empreendedoras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *